Palestras Sobre Drogas

Há 12 anos sou voluntário na área de Dependência Química, atuando no tratamento por meio de Comunidade Terapêutica. Tenho alguns livros publicados “Drogas um vale escuro e grande desafio para família" e "O amor vence as Drogas”, e mais de uma centena de Artigos relacionado a este tema.


Faço palestra sobre Dependência Química. Aqueles que desejarem basta entrar em contato pelo e-mail ataide.lemos@gmail.com


quarta-feira, 5 de maio de 2010

Internação involuntária é sinônimo de prisão







 



          A internação involuntária do dependente químico, nada mais é do que uma maneira sutil de prisão, isto é, retirar do meio da sociedade o dependente químico. Enfim, retornar ao passado onde o dependente químico era considerado doente mental, em outras palavras, um louco.

          Qualquer profissional de saúde que atua nesta área sabe que internação involuntária não resolve, não leva a pessoa deixar a dependência. Isto é, para que alguém vença a dependência química é fundamental o desejo partir dele.

         Atuo nesta área a mais de 12 anos e nunca presenciei alguém deixar as drogas por imposição, pelo contrario, os que venceram foi porque decidiram de foro intimo deixar as drogas e assim se posicionaram neste pensamento procurando tratamentos e hoje estão sóbrios mantendo uma vida saudável.

          É fundamental pensarmos que uma entidade onde se obrigue alguém permanecer involuntariamente precisará escolher um de dois métodos; um é dopar o dependente químico constantemente, porém, este artifício levará o dependente adquirir uma doença de ordem mental. O outro é usar da força, isto é, construir cadeias dentro das entidades e também punir o doente (preso) com a força e os métodos que se dispuser.

          Imaginamos hipoteticamente os dois métodos, partindo das primícias que para se deixar às drogas é necessária vontade do dependente: no primeiro caso, evidentemente este recuperando sairia dependente e doente mental da entidade, no segundo caso, como alguém iria deixar de usar drogas numa entidade onde seria maltratado? Como que todo o programa de tratamento iria ser concebido por ele (dependente), num local onde ele não deseja ficar? Onde ele é punido constantemente? Enfim, voltaremos às torturas do doente químico como no passado, depois de termo comprovado que a dependência química é uma doença. Enfim é algo que jamais pode ser concebido nos dias de hoje.

          Como um profissional no assunto, este argumento de prender o dependente químico é uma loucura, mas é algo que já se poderia prever diante a inércia e omissão do Estado. Todavia, se o problema do tratamento à dependência química fosse tratada com seriedade pelo Estado, isto é, dando condição de tratamento a todos aqueles que são dependentes e não possuem condições financeiras para se tratar a realidade seria completamente outra. A verdade é que o Estado em abordando de tratamento a dependência química nada faz e então, a sociedade perdida sem solução deixa ser levado por tais ideologias de segregação social. Enfim, para se resolver um problema esconde-o, ou seja, construa prisões para esconder ou proteger a sociedade dos doentes, como já ocorreu no passado com os dependentes químicos, os leprosos, etc.

         Em nosso País é assim, o Estado não cumpre suas Leis, e então sai punindo com novas Leis, que na verdade, isto nada mais é do que seu próprio certificado de incompetência. Dou aqui alguns exemplos: uma pessoa é condenada à 20 anos de cadeia, sai com 3 a 5 anos, então observamos a violência aumentar pela impunidade do crime. O Estado não implementa na integra o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e então, procura diminuir a idade penal. Agora outro exemplo; não dá acesso de tratamento ao dependente químico construindo centros de tratamento e nem apóia financeiramente inúmeras entidades como as Comunidades Terapêuticas e clinicas e então, resolve literalmente construir prisões para os dependentes químicos.

         Ataíde Lemos

20 comentários:

  1. Não concordo quando diz que as clinicas para tratamento de dependencia quimica são prisões. em algumas delas os resultados são bons, mesmo que o doente se recupere só de medo de voltar a ser internado involuntariamente. as pessoas que normalmente dizem que o tratamento involuntario não resolve, acho que é porque não tem um caso de dependencia bem proximo, uma pessoa bem amada. Não é facil ficar com as mãos atadas esperando a roleta russa , que é a vida de um dependente que é deixado que resolva por si o dia que irá se tratar. Se é uma doença que afeta completamente a mente, como é que podemos esperar uma pessoa insana decidir pela sua vida e pela vida dos que o cercam? Na duvida, vamos internar mesmo que seja involuntariamente, mesmo que essa pessoa tenha que ficar muito tempo internada. O que temos que fazer é procurar uma instituição séria e que não use metodos que tornem o problema ainda mais grave, exemplos: remédios para manter o paciente alienado ou violencia.

    ResponderExcluir
  2. olha só.. o idiota acima, talvez seja ou adepto capitalista de uma clinica, ou entao o mané é um familiar mais doente que o dependente, pq afinal, ele nunca deve ter ficado involuntarimente numa "cadeia" de recuperação, onde somos humilhados, maltratados, comida de 5ª, sem contar o medico sem vergonha que se acha la dentro.. e a mulher dele, uns 15 anos mais jovem (pa ver como ele e safado) chega la e diz que se kiser, alem de ter fortes contatos juridicos, tem contatos fortes com vagabundos.. que podem "resolver" problemas q A estejam incomodando.... afinal??? ate onde o retardado q escreveu esse post do dia 16 de junho tem noção do que estava falando??? asno....

    ResponderExcluir
  3. Se a internação involuntária não dá resultado,não recupera ningúem,então o q fazer quando o dependente n quer se tratar?Deixá-lo morrer,depois de ter acabo com todos os bens da família?Nesse caso o dependente é um doente e precisa ser tratado como tal...Já q a dependência afeta completamente a mente,o q podemos esperar de uma pessoa assim?Q por favor me ajudem?Sabemos q na prática esses são poucos os casos,em o dependente pede ajuda.A droga o aluscina tanto q pra ele é um prazer usá-la e não consegue mais ficar sem ela.O único q pode libertar o homen do pecado,q tem o poder de mudar a mente humana é o Senhor Jesus Cristo,mas até q essa conversão não aconteça,temos q recorrer aos métodos daqui da terra,e a internação involuntária é um deles!!!

    ResponderExcluir
  4. Fabrícia Teófilo Otoni/MG29 de junho de 2010 10:38

    Não adianta...só o Espírito Santo pode convencer o homem do pecado,da justiça e do juízo..Aqueles q estão em Cristo, nova criatura é,as coisas velhas se passaram .eis q se fizeram novas.A internação voluntária ou involuntária ajuda,mas se não houver uma verdadeira conversão ao Senhor Jesus,não resolve!

    ResponderExcluir
  5. Concordo parcialmente,é fundamental a vontade da pessoa para ser curada de uma dependência química, mas para ela conseguir isso efetivamente,muitas vezes a pessoa precisa sim ser internada involuntariamente ou, se internada voluntariamente, ser mantida sem sua vontade, pois a manifestação da vontade de querer se submeter a esse tratamento, só se dá em momentos de sobriedade em que ela não está sentindo a necessidade do consumo da droga, portanto, mesmo que ela queira ser curada,terá momentos enérgicos, agressivos e duradouros de abstinência, os quais só podem ser contidos com pessoas qualificadas, que tenham recursos de contenção e uma estrutura de espaço físico adequada, que mantenha a pessoa segura contra si mesma, então a não ser que você tenha como manter o doente sob vigilância 24 hrs fora da clínica, e consiga suprimir suas reações de abstinência com segurança para o doente e para você mesmo, a internação involuntária considera-se inviável.

    ResponderExcluir
  6. O meu irmao é um dependente quimico, esta em um grau de loucura que só fala em matar ou suicidar, é altamente agressivo e nao aceita absolutamente nenhuma ajuda. Tivemos "paz" na familia durante 1 ano pois ele ficou preso por porte ilegal de armas, atualmente encontra-se alucinado, tem a certeza de que nao é dependente quimico e nao precisa de tratamento. Assim estamos vivendo meu caro, entristecidos, cabisbaixos, com vergonha de sair as ruas, sem a minima graça de festejar um aniversario, um natal, uma pascoa, enfim... esperando um lampejo de luz na empodrecida cabeça deste pobre ser humano condenado a morte.
    camailfe@ig.com.br

    ResponderExcluir
  7. Se o tratamento involuntário não resolve, então o que fazer? Deixar a pessoa morrer e acabar com a família? Não conheço nenhuma clínica de tratamento involuntário e inclusive estou procurando uma. Acredito que na clínica deve se trabalhar com o viciado mostrando para ele uma outra perspectiva de vida; concientizando-o da realidade que viv;, buscando a razão ou razões que o levaram a chegar a tal situação; mostrando meios de ajudá-los e apresentar para ele um novo horizonte, um novo estilo de vida. Se preciso tomar alguma medicação, pois pior são as drogas. Acredito que uma equipe bem preparada, que tenha amor e o mais importante que tenha Deus poderá sim fazer a diferença na vida de um jovem que está sem rumo e acha que as drogas é o melhor caminho. Quando amamos queremos salvar. Ninguém vive bem quando tem um dependente químico na família.

    ResponderExcluir
  8. Meu filho esta nas ruas se drogando crack e todo dia e toda hora nao sei como fazer pra ajuda-lo a nao ser pega-lo a força.. ele nao quer se tratar enem quer parar sozinho e nao para sozinho vc sabe disso usuario de crack nao para sozinho e nao quer ajuda..Tem alguma ideia do que fazer?? Ou deixar morrer?? Clínica pelo menos salva da morte e vc com esses papo mole salva como?? salva de que?? maltrata 9 meses mas depois muitos passam a vida inteira bem.. Entao? salva ou deixa morrer?? Responda-me por favor estou desesperada.. Nao quero meu filho morto ..

    ResponderExcluir
  9. Clinica involuntaria salva sim... estou procurando uma no momento, pois meu filho faz quatro dias que não volta pra casa, não faço a minima ideia onde ele esteja, quando volta dorme e come por um dia, pega as coisas dentro de casa para vender e some, qual é a familia que não quer resgatar seu ente querido mesmo que seja a força para fazer o bem...né...estou sofrendo muito.

    ResponderExcluir
  10. Etapas do Tratamento

    O Grupo Casoto oferece Tratamento personalizado com cuidados clínicos e de
    reabilitação psicossocial, favorecendo o exercício da cidadania e
    ressocialização dos pacientes.

    Enquanto espaço flexível e de relação aberta com o exterior, cria
    condições para a promoção da autonomia pessoal, visando à reinserção
    social, acadêmica e profissional.

    OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

    Prestar atendimento em regime de atenção diária;
    Gerenciar projetos terapêuticos oferecendo cuidado clínico eficiente e
    personalizado;
    Promover a reabilitação psicossocial dos pacientes com histórico de
    tratamento ambulatorial ou de internação devido a problemas relacionados o
    uso e abuso de substância psicoativa;
    Oferecer atividades multidisciplinares com ações intersetoriais que
    envolvam educação, trabalho, esporte, cultura e lazer através de
    estratégias específicas, como: oficinas temáticas, atividades em grupo,
    saídas culturais, atendimentos individuais e terapias corporais.
    Promover a tomada de consciência das consequências decorrentes das tomadas
    e decisão quotidianas.
    Identificar os sinais internos de aviso de recaída e empregar recursos
    adequados para prevenção (gatilhos).
    Promover situações estratégicas para viabilizar a expressão de
    sentimentos, emoções e vivências;
    Estimular o estabelecimento de hábitos saudáveis e melhora no estilo de
    vida dos pacientes a partir da conquista de maior autonomia, autoestima e
    autoconfiança dos pacientes.

    Serviços Disponibilizados:

    Avaliação e Atendimento Psicoterapêutico Individual e Grupal Avaliação
    eAtendimento Psiquiátrico Avaliação e Atendimento Psicopedagógico
    Individual e Grupal Terapia Ocupacional Individual e Grupal Avaliação e
    Atendimento Familiar Individual e Grupal Avaliação Neuropsicológica
    Reabilitação Cognitiva Acompanhamento Terapêutico Plantão 24 horas

    Equipe:

    Diretora Clínica
    Médicos Psiquiatras
    Psicólogas
    Psicopedagogas
    Terapeutas Ocupacionais
    Neuropsicólogas
    Manager Case (gerentes de caso)
    Gerente Administrativo
    Acompanhantes Terapêutico-Estagiários
    Estagiários em Graduação ou Especialização
    Recepcionista
    Copeira

    Modalidades de Tratamento:

    Aconselhamento Individual E Familiar
    Mediação Familiar
    Craft - Cuidando De Quem Cuida
    Psicoterapias: Individual E Em Grupo
    Terapia Cognitiva Comportamental
    Prevenção Da Recaída
    Treinamento De Habilidades Sociais
    Terapia Construcionista
    Grupo Operativo
    Acompanhamento Terapêutico: Individual E Em Grupo
    Grupo Atua-Acão
    Terapia Ocupacional
    Individual E Em Grupo
    Oficinas Terapêuticas
    Oficinas Culturais
    Monitoramento Do Uso Através De Testes De Urina
    Apoio Logístico: Transporte, Habitação E Econômico
    Apoio Educacional E Vocacional

    O Grupo Casoto - Tratamento e Reabilitação da Dependência Química - dispõe
    de ambientes aconchegantes, devidamente equipados para os serviços
    disponibilizados.

    Salas para Atividades Individuais
    Salas para Atividades Coletivas
    Sala de Atendimento Neuropsicológico
    Sala de Atendimento Psicopedagógico
    Sala de Atendimento Psicológico
    Sala para Atendimento Familiar
    Sala Multimídia
    Espaço para Relaxamento
    Sala de TV
    Sala de refeições
    Espaço de Jogos Recreativos
    Piscinas e Saunas
    Espaço de Recepção e Administração
    Cozinha
    Banheiros





    --
    LEIA, IMPORTANTE

    O Grupo Casoto dispõe de uma equipe de profissionais aptos para
    encaminhamento de internação para várias instituições credenciadas, para
    melhor te direcionar é necessário preencher o formulário de contato ou
    também estamos disponíves pelo msn e pelos telefones 24Hs.

    Grupo Casoto Assessoria e Remoção Especializada Ltda
    Tratamento de Drogas e Alcoolismo
    Tel: (11)4458-5238 |(11) 2324-6410
    Ligue Gratis: 0800-7736026 Ramal:4162
    Cel: (11)6476-6410
    Nextel: (11)7770-4558 | ID:9*316275
    Msn: fernando.casoto@hotmail.com
    Skype: fernando.casoto
    www.tratamentodedrogas.com
    www.grupocasoto.com.br
    www.casotoremocoes.com.br
    www.clinicacasoto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A melhor e mais eficiente clínica de recuperação do país. Acesse nossa página e conheça modelos dinâmicos e individualizados de tratamento! www.clinicatheway.com.br em parceria com a San Paolo Internações.

      Excluir
    2. 15 Anos de Experiência na Recuperação e Reabilitação de Dependentes Químicos! Acesse www.clinicatheway.com.br

      Excluir
    3. A melhor e mais eficiente clínica de recuperação do país. Acesse nossa página e conheça modelos dinâmicos e individualizados de tratamento! www.clinicatheway.com.br em parceria com a San Paolo Internações.

      Excluir
  11. Na teoria muito bonito e politicamente correto, mas na prática não há solução para o problema, então? Se internação involuntária não resolve, o que resolve? Também não sei a resposta, mas a autora tampouco parece saber, embora critique a primeira alternativa.

    Afinal, o que fazer se o dependente químico repudia qualquer ideia de tratamento, chega à insanidade até de negar que é usuário de drogas? Se folha de cheque deixada por omissão na gaveta some e "aparece" com assinatura falsa, descontada no banco? Se bens da residência somem subitamente? Enfim, tem que prender os móveis da casa, tem que esconder qualquer coisa que possa ser consumida pelas drogas? Enfim, se for essa a resposta, então a NÃO internação involuntária realmente não gerar uma prisão para o dependente, mas para todos que vivem ao redor dele.

    ResponderExcluir
  12. Sou namorada de um dependente quimico e ele está neste momento em uma clinica de recuperação a 700 km de minha cidade, não citarei o nome para não prejudicá-lo pois ele ainda se encontra la.
    Foi internado involuntariamente e a solicitação da internação involuntária ("resgate") foi feita pela mãe (pela lei só um parente de sangue pode fazer e só o mesmo parente pode solicitar a saída)
    Pela distancia so pude visita-lo uma vez e, fisicamente, ele esta mto bem, 30kg mais gordo, etc, como nunca o vi... Porém pessoalmente ele me relatou (pois ao telefone ele nunca tinha me dito nada) que foi sim submetido a maus tratos, humilhações, tentou fugir e apanhou, fraturou a costela e ficou sem escutar de um ouvido alguns dias em virtude dos chutes q levou no rosto. A "tal clinica" o levou ao hospital para o raio-x e etc somente duas semanas apos (de acordo com ele para que os hematomas diminuissem)e ele relata que chorou por varias noites de dor pedindo ajuda e nada foi feito... O funcionário que o agrediu foi mandado para outra clinica "parceira", a clinica constava como parceira no site da "tal clinica", porém logo após o episódio o site saiu do ar e foi reformulado, não constando mais a "parceria". Correlacionando os fatos eu percebo que algo realmente pode ter acontecido como ele relatou...
    Ele me liga de la uma vez por semana, mas percebo ele mto coagido, conversa comigo frases decoradas e qnd pergunto sobre algo "mais serio" ele nao responde, ou responde cochichando.
    Já esta lá ha 5 meses, o contrato estipulava 4 meses de tratamento, aparentemente convenceram a mãe dele que o melhor seria deixa-lo mais tempo por la (so ela ou o médico pode autorizar a saida d acordo com a lei), mesmo ele querendo sair e apresentando claramente estar fisicamente bem e em sã consciencia.
    A mãe dele me "soltou" que o dono da tal clinica fez ela assinar umas coisas pois ele ja ouviu comentario de que meu namorado vai processar a clinica e ele ja esta sendo processado (lavagem de dinheiro publico), meu namorado desconfia que por isso estao o segurando la...
    Quero dizer, EU SOU A FAVOR DA INTERNAÇÃO INVOLUNTARIA, pois sei que em alguns casos (como foi do meu namorado) a pessoa nao tem condições de decidir por si propria porém existe uma lei q regulamenta e diz que de maneira alguma podem haver tais barbaries por parte das clinicas é intoleravel, violência nao trata doença nenhuma!!! Alem do q a lei diz q td interno de internação involuntaria deve ter LIVRE ACESSO A TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, então não entendo pq ele so tem direito de me ligar 1 vez por semana, 5 min e ainda com pessoas do lado pra "vigiar" (isso é ter livre acesso???). O q exatamente eles acham q ele não pode me falar???
    Estou de mãos atadas, sem saber como agir ou proceder de tão longe e não sendo um "parente de sangue"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida! Denuncie essa clinica ao Ministério Publico, denuncia anônima, essas pessoas não podem ficar impune, manda uma denuncia para a mídia também.

      Excluir
  13. Nos dias de hoje as drogas e o álcool tem permeado muito na sociedade, afetando desde os mendigos até os de classes mais altas e todas as idades têm sido afetadas por esse mal. Por isso, nós da Nova Aurora, estamos aqui para ajudar a você que tem procurado uma clínica de recuperação para dependentes químicos (seja álcool, drogas ou qualquer outro) para algum familiar, parentesco ou até um amigo. Em nossa clínica de reabilitação e tratamento para dependentes químicos tentamos desenvolver uma boa área de lazer, para que possam se sentir mais à vontade e estarem cada vez mais dispostos em quererem nossa ajuda e grandes melhorias de vida.

    http://ctnovaaurora.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Excelência e Humanização no tratamento da Dependência Química. 15 Anos de experiência. Acesse www.clinicatheway.com.br
    ou ligue: (11) 9 8416-1044 / (18) 99766-6524 / Whatsapp (11) 9 8416-1044

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito do artigo! As vezes pra salvar uma vida se faz necessária a internação involuntária, mas deve-se saber o momento certo de se fazê-la: http://blog.viversemdroga.com.br/internacao-involuntaria/

    ResponderExcluir
  16. Internação involuntária masculino ou feminina com remoção especializada é na Viver Sem drogas. Confira: http://www.viversemdroga.com.br/internacao-involuntaria.php

    ResponderExcluir

Comunidade Terapêutica Jeová Shalom

Gostaria de deixar neste tópico informações para aqueles que tem problemas relacionado às drogas e deseja tratamento.Somos diretores uma entidade para tratamento a dependentes químicos chamada “Comunidade Terapêutica Jeová Shalom”.Já atuamos nesta área de tratamento há quase 12 anos.
Para maiores informações aqui estão dados da entidade para aqueles que estão a procura de tratamento.

· A entidade se localiza na cidade de Ouro Fino sul de Minas Gerais, está há 200 km de São Paulo, 480 km do Rio de Janeiro e 490 km de Belo Horizonte. A instituição trata apenas o sexo masculino.

· A instituição é evangélica: Isto não significa que somente atende a evangélicos, pelo contrario, a entidade recebe todos sem distinção de credo, raça, etnia, etc. no entanto, os princípios da espiritualidade é Cristã.

· É proibido fumar cigarro de tabaco. Segundo entendimento da entidade tabaco é também uma droga que precisa ser combatida. Muitas vezes o próprio uso do cigarro acaba sendo um fator de levar o dependente a ter suas recaídas.

· O tratamento se dá através do tripé; Laborterapia, espiritualidade e reunião de grupos. A reunião de grupo é subdividida em palestras, dinâmicas e os doze passos.

· O tempo de duração do tratamento é de seis meses divididos em: dois meses para desintoxicação, dois para conscientização e mais dois anos destinado a ressocialização.

· Embora a entidade esteja registrada nos órgãos públicos, como ocorre com a maioria das Comunidades Terapêuticas não recebe verbas dos poderes públicos e como tem que se manter, ela pede a titulo de doação uma contribuição de R$ 250,00 mensais para poder custear as despesas de manutenção da instituição.

Pois bem, estas são as informações básicas, caso há interesse basta entrar em contato:
potifar@hardonline.com.br

Presidente:
Apostolo Profº Roberto Wagner Alves Ferreira